Fornecedores de VPN não autorizados serão bloqueados pela China em abril

Todos sabemos sobre o “Grande Firewall” da China, onde os usuários da Internet podem acessar apenas as páginas aprovadas pelo governo. A China não é o único país a ter essas restrições em vigor. Várias outras nações com regimes opressivos regulam o conteúdo que seus cidadãos acessam através da Internet. Isso significa que uma grande parte da população permanece privada do conteúdo que o resto do mundo desfruta. As pessoas que vivem em regimes opressivos encontraram uma maneira de acessar o conteúdo bloqueado. As redes privadas virtuais (VPN) são as mais populares entre os usuários da Internet na China, por acessar conteúdo bloqueado pelo governo. Dada a popularidade das VPNs, existem vários fornecedores na China operando sem uma licença do governo e dando aos usuários da Internet acesso a todo o conteúdo bloqueado. Em uma ação do governo chinês, tais VPNs não autorizadas serão bloqueadas em abril.


Fornecedores de VPN não autorizados serão bloqueados pela China em abril

Fornecedores de VPN não autorizados serão bloqueados pela China em abril

Liberdade versus controle governamental

Em janeiro de 2017, o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação da China anunciou que estava lançando uma campanha de 14 meses para descobrir plataformas de Internet ‘não autorizadas’. A China enfatiza que deseja que a Internet seja justa e saudável e, por esse motivo, a regulamentação adequada é fundamental.  

É por isso que o ‘Great Firewall’ existe. Escusado será dizer que um dos maiores alvos dessa repressão foram os serviços VPN não autorizados. A China disse que, para manter os serviços da Internet justos e saudáveis, ele precisa censurar o conteúdo e regular as plataformas da Internet de maneira “desordenada”.

O governo chinês chamou isso de unidade de limpeza de acesso à rede da Internet, onde qualquer pessoa que não opere com uma licença do governo será bloqueada, além de sofrer severas punições. As punições incluem até dez anos atrás das grades.

Desde que essa unidade foi anunciada, muita coisa aconteceu. A Apple retirou vários aplicativos VPN de sua loja de aplicativos, vários fornecedores não autorizados de VPN foram presos, e a China anunciou que, em 31 de março, todas as empresas nacionais e estrangeiras que operam no país teriam que cumprir as regras do governo para realizar atividades transfronteiriças.

O engenheiro-chefe do Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação, Zhang Feng, garantiu aos provedores de VPN autorizados que eles continuarão a operar como agora. Ele também acrescentou que operadoras de telecomunicações como China Telecom, China Mobile e China Unicom são alguns dos provedores autorizados no país e receberam ordens para não permitir que seus assinantes acessem conteúdo bloqueado com VPNs.

Isso significa que aqueles que usam VPNs autorizadas somente poderão acessar conteúdo aprovado pelo governo. Se você deseja acessar o conteúdo por meio de uma VPN na China, não há como superar o Great Firewall.

Dado o uso restrito de VPNs, há a questão da segurança dos dados que sempre surge. A esse respeito, Zhang disse que os dados da Internet das pessoas não são desprotegidos de forma alguma. Quando VPNs autorizadas são usadas, ninguém, nem mesmo o governo, pode violar a segurança da rede.

Ele reiterou que aqueles que usam plataformas da Internet com regulamentação governamental adequada não têm com o que se preocupar. Somente as plataformas não autorizadas serão bloqueadas.

Mais regras para cidadãos chineses

Parece que os cidadãos chineses não têm como acessar conteúdo bloqueado no país, dadas as novas regras que o governo está adotando. As regras não afetarão apenas os cidadãos, mas também aqueles que visitam a nação de outros países. Com conteúdo severamente restrito, entretenimento, informação, educação e comunicação serão afetados. Principais sites como o Facebook, Twitter, Instagram e o aplicativo de mensagens WhatsApp estão bloqueados na China.

A maioria dos usuários de VPN na China dispõe de uma rede privada, não apenas para ignorar a censura, mas também para se proteger do governo espionando seus dados. É sabido que o governo chinês monitora o tráfego de todos os usuários da Internet. Se você acessar qualquer conteúdo questionável de acordo com a lei chinesa, será penalizado. As pessoas comuns na China vivem em constante medo, sem liberdade alguma.

China ama governo grande

Mesmo quando afirmam que o uso de uma VPN aprovada pelo estado protegerá os usuários contra roubo de dados, é sempre possível que as VPNs autorizadas tenham sido configuradas pelo governo para espionar o tráfego de cidadãos na Internet. Com um grande número de VPNs bloqueadas no país, os cidadãos chineses perderam a pouca liberdade de Internet que costumavam desfrutar.

Kim Martin Administrator
Sorry! The Author has not filled his profile.
follow me
    Like this post? Please share to your friends:
    Adblock
    detector
    map